15.1 C
Nova Iorque
terça-feira, maio 17, 2022

Buy now

spot_img

MOSTRA DE CINEMA E FEIRA DE LITERATURA OCUPAM AMARAJI NA MATA SUL DE PERNAMBUCO

A palavra, em todas as suas narrativas, é a grande protagonista da III Mostra Cinema na Mata – Curta a Palavra e da I Feira Literária de Amaraji (Fliamar), que acontecerão simultaneamente nos dias 24, 25 e 26 de março, no Pavilhão de Amaraji, cidade situada na Zona da Mata Sul, a 96 km do Recife. Organizada pela cineasta Clara Angélica e a produtora Jô Conceição, a mostra cresceu, ganhando mais um dia de exibições. Além dos três dias na cidade, a mostra também terá dois assentamentos, além de oficinas e rodas de conversas. Já a primeira edição da Fliamar é uma iniciativa da Companhia Editora de Pernambuco, que abre com a feira o seu Circuito Cepe de Cultura 2022, com realização de feiras literárias em todas as regiões do Estado até dezembro.

“A expectativa é de triplicar o público. Essa será a primeira vez que a cidade receberá dois eventos dessa abrangência, misturando linguagens tão potentes e tão necessárias para a formação cidadã”, assegura Clara Angélica. Tanto a mostra quanto a feira serão realizadas no entorno do Pavilhão de Amaraji, que é o marco zero da cidade. O presidente da Cepe, Ricardo Leitão, também acredita na boa receptividade por parte da população. “O Circuito Cepe de Cultura se destaca como um dos mais importantes eventos de promoção do livro e da leitura de Pernambuco. Ele chega agora à Mata Sul, a partir de Amaraji, uma cidade que sempre apoiou iniciativas culturais”. Tanto a mostra como a feira literária contam com programações gratuitas. A mostra de cinema e a feira literária prestam homenagem à professoras Cristina Tabosa pelo trabalho realizado ao longo de sua vida em apoio à educação pública da cidade.

A programação da mostra “Cinema na Mata” está dividida por temas. Na quinta, 24, acontece a “Sessão Amaraji em Tela”. A curadoria busca através das paisagens imagéticas e sonoras personificar Amaraji em filmes. Por isso, as narrativas que compõem a sessão são única e exclusivamente as que têm a cidade como locação.

O teaser da primeira Mostra Cinema na Mata abre a noite. Dirigido por Breno César, registra as atividades da primeira edição da Mostra Cinema na Mata – Curta a Palavra. Na sequência, será exibido Poesia Animada, criação coletiva orientada por Quiá Rodrigues, realizada com crianças durante a Oficina de Animação, pelo próprio Quiá em parceria com Gabi Saegesser. A programação da “Sessão Amaraji em Tela” segue com o curta de ficção O Pedido, de Adelina Pontual, cuja história se passa num velho casarão do Engenho Guloso, onde uma velha e sua jovem afilhada preparam-se para receber uma misteriosa visita que realizará um antigo desejo. O filme, de 1999, marca a estreia de Hermila Guedes no cinema.

A Menina Banda, também de Breno César, será exibido na sequência. Trata-se da história da Menina Banda, que emite sons como um instrumento musical e os personifica, o que causa desconforto nos cidadãos do vilarejo, o Assentamento Estivas, de Amaraji. Por fim, será mostrado Roda Gigante, dirigido por Iomana Rocha, sobre uma avó e sua neta, que vagam no interior nordestino.

Na sexta, 25, acontece a “Sessão Cinema Falado”, que traz dois longas que estão entre o limiar da palavra, poesia, da palavra encenada e da linguagem fílmica. O primeiro filme da noite é O Baile do Menino Deus, sob a direção de Tuca Siqueira. Com novos solistas, como a rainha da ciranda Lia de Itamaracá e o cantor Chico César, o auto natalino encenado e transformado em filme, traz frescor à história, com elementos contemporâneos como o hip hop de Okado do Canal para celebração do nascimento do Menino Jesus, que representa renascimento e esperança.

Depois, o público poderá conferir Bom Dia, Poeta – Uma Terra Encantada de Mundo, de Alexandre Alencar. O filme revela vida e obra de Lourival Batista, o Louro do Pajeú, um dos grandes poetas e repentistas da região do Vale do Pajeú, destacando a história da cantoria de viola, uma das vertentes do romanceiro popular nordestino.

No sábado, 26, a terceira noite de exibição, com a “Sessão Poesia”, que tenta através de um filme narrativo e um não narrativo captar e reproduzir a poesia das imagens, dos sons, das nossas crianças internas e das crianças que já são adultas, do nascimento e finalização da vida. A sessão abre com um curta-metragem, resultado da oficina de stop motion orientada por Quiá Rodrigues. Encerrando a programação da mostra, será exibido King Kong em Asunción, do premiado Camilo Cavalcante. Trata-se da história de um velho matador de aluguel. O filme une quatro países: Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil, cuja única locação foi em Amaraji.

Além da programação de filmes, haverá uma oficina de Stop Motion, com o renomado animador Quiá Rodrigues, de 21 a 25 de março, voltada para crianças e jovens. Quiá já recebeu mais de 20 prêmios somente com o curta “Cabeça Papelão”. Também entre os dias 21 e 25 de março, acontecerá a oficina “Cineclubismo”, com Anina Dias, voltada para jovens e adultos. Há 10 anos se dedicando à pesquisa, criação e produção das atividades de formação audiovisual do Cineclube Cidadania, desenvolvidas em escolas públicas e privadas, festivais de cinema e seminários de Cinema e Educação, Anina Dias trará uma oficina que, de maneira simples, pretende expor as potências da pedagogia do cinema.

Shows – Literatura em diálogo com as mais diversas expressões culturais, como música, dança, teatro, é a proposta da programação da Feira Literária de Amaraji, que abre espaço em sua grade para shows, oficinas, contações de histórias e lançamento literário. Destaque para os shows do mágico Rodrigo Lima (quinta-feira, às 16h) e da cordelista, cantora e contadora de histórias Mari Bigio, que acompanhada pelo músico sanfoneiro Vini Nogal apresentará a literatura de cordel, Patrimônio Cultural Nacional, em apresentação com muitos recursos cênicos, sexta-feira, às 16h. No sábado (26), no estande da Cepe Editora, acontecerá o lançamento do livro infantil A Palavra da Boca Pra Fora, com a presença dos autores Clara Angélica e Rodrigo Fischer.

Nas tardes que antecedem as sessões, os realizadores participam de rodas de conversa, no espaço da Fliamar, com mediação da diretora e produtora cultural, Cynthia Falcão. No dia 24 o tema será “Paisagens Possíveis”, com as participações de Adelina Pontual, Iomana Rocha e Breno César. No dia 25, o bate papo terá as presenças do escritor e diretor-geral de O baile do Menino Deus, Ronaldo Correia de Brito, da produtora do filme, Carla Valença, e do diretor Alexandre Alencar. Os encontros serão às 16h.

Professores e alunos da rede municipal de ensino de Amaraji também participarão ativamente das atividades da Fliamar em oficinas de mediadores de leitura e contação de histórias ministradas pela Rede Releituras – Bibliotecas comunitárias em Rede. As oficinas têm a finalidade de formar profissionais na arte de mediar leitura literária. Os participantes serão sensibilizados a aprender diferentes práticas e técnicas de mediação de leitura, que favoreçam às crianças, jovens e adultos escolher e indicar livros, comentar o que leram, compartilhar dúvidas e impressões sobre suas leituras, aproximando-as do mundo da literatura e da linguagem escrita e acontecerá de 23 a 25 de março.

Com patrocínio do Funcultura, a mostra é uma realização da Associação Sociocultural Bondosa Terra e da Companhia Editora de Pernambuco, com apoio da Prefeitura Municipal de Amaraji, através das Secretarias de Cultura, Turismo e Juventude e de Educação. A Fliamar tem curadoria da Fundação Gilberto Freyre.

Related Articles

Escreva uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Stay Connected

0FansLike
3,310FollowersFollow
0SubscribersSubscribe
- Advertisement -spot_img

Latest Articles