EM MEIO À PANDEMIA, PREFEITO DE CORTÊS QUER AUMENTAR SALÁRIO EM 20%

Mesmo com o impacto nas contas públicas causado pela pandemia da Covid-19, o prefeito da cidade de Cortês, Reginaldo Morais (PP), apresentou um projeto de lei à Câmara de Vereadores do município propondo um aumento no salário que recebe. Caso seja aprovado, a remuneração do político subirá de R$ 10 mil para R$ 12 mil.

Além dele, o projeto de lei 008/2020 também prevê aumento nos salários do vice-prefeito (de R$ 6,5 mil para R$ 8 mil); vereadores (de R$ 5 mil a R$ 7 mil); e secretários do município (de R$ 3,5 mil a R$ 4 mil). Na próxima terça-feira (13), a Câmara volta a debater o assunto e dar sequência aos trâmites da votação. 
 
Na sessão do último dia 6, o vereador Salatiel de Oliveira (Avante) apresentou um projeto de emenda parlamentar para tentar impedir o aumento e reduzir o salário do gestor e de outros servidores, mas a medida foi rejeitada por sete votos a um. A emenda proposta defendia a redução nos salários do prefeito (que passaria a ser de R$ 5 mil), vice-prefeito (R$ 2,5 mil),  secretários (R$ 2 mil) e a permanência do salário dos vereadores em R$ 5 mil. 
 
Reginaldo Morais é candidato à reeleição em Cortês. Em maio, o político foi denunciado à Controladoria Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), além da Promotoria de Justiça de Cortês. 
 
De acordo com as denúncias, o município omite dados do Portal de Transparência e estaria utilizando de forma indevida as verbas federais recebidas para combater a pandemia do novo coronavírus. O autor das denúncias é o empresário Eduardo Farias, atual vice-prefeito do município e rompido com a gestão. A equipe de jornalismo tentou contato com o prefeito, mas não recebeu resposta até o fechamento desta reportagem. 

Do Diario de Pernambuco

Compartilhe:

Comentários

comments