MAIS DE 14 MIL SERVIDORES PÚBLICOS RECEBERAM AUXÍLIO EMERGENCIAL DE FORMA IRREGULAR

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) identificou o pagamento irregular do auxílio emergencial de R$600 para 14.170 servidores estaduais e municipais, ativos e inativos. Somados, os saques representam um furo de R$ 9.965.400 aos cofres públicos.

Os municípios de Petrolina, Pesqueira, Garanhuns e Saloá possuem a maior quantidade de servidores que receberam o benefício. Em 155 cidades pernambucanas, pelo menos um funcionário solicitou o valor indevidamente, estima MPPE.

O coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), George Diogenes Pessoa, alerta para a possibilidade de golpe contra os profissionais do Estado. “Há um indício de fraude, quer seja por parte do servidor ou de alguém que usou indevidamente os dados dele”, adverte.

“Ainda é um levantamento preambular, que será disponibilizado aos promotores de Justiça de cada município para que deem continuidade às apurações”, conclui o coordenador.

Do LeiaJá

Compartilhe:

Comentários

comments