CORPO DE MULHER TROCADO EM HOSPITAL DA ZONA METROPOLITANA É ENTERRADO EM AMARAJI

A troca de dois corpos em uma unidade hospitalar da região metropolitana chamou atenção de duas famílias das cidades de Amaraji e Gravatá, durante esta semana. Segundo informações, uma senhora que residia em Amaraji de identidade preservada, faleceu na unidade hospitalar e quando parentes foram realizar o reconhecimento do óbito, foram orientados a visualizar o comprimento do corpo pelo saco e identificar dados postos em um adesivo, isso seguindo protocolo em óbito suspeitos de covid-19, sem visualização direta do falecido (a).

O que os familiares de Amaraji não sabiam, era que na verdade estavam trazendo para velar e enterrar o corpo de outra pessoa que era para ser levado ao município de Gravatá e estava com os dados trocados.

Houve o sepultamento no cemitério de Amaraji, porém o hospital na região metropolitana, logo após comunicou que o corpo da senhora que era para vir ao município amarajiense ainda estava no necrotério da unidade.

Apesar de todo transtorno, o corpo correto do óbito amarajiense teve seu reconhecimento realizado e entregue para a família correta para ser enterrado em seu município, enquanto o outro óbito entregue a unidade para ser levado ao município de Gravatá.

Segundo informações, o hospital abriu um processo interno para averiguação do erro. A família da senhora do óbito amarajiense decidiu não impetrar ação contra a unidade pelo erro.

Compartilhe:

Comentários

comments