PF CUMPRE MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO POR DESVIO DE DINHEIRO EM OBRA DA BR-101

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira, dia 8, a segunda fase da Operação Outline, responsável pela investigação de autuação de organização criminosa que desviava dinheiro de recursos que deveriam ser empregados na obra de requalificação da BR-101. 

De acordo com a PF, nove mandados de busca e apreensão e dois de prisão temporária foram expedidos, além do embargo de imóveis no Recife e no município de Gravatá, Agreste do estado.

Em comunicado, a PF também informou que o valor total do contrato firmado para execução da obra supera o valor de R$ 190 milhões, e que a maior parte dos recursos é oriunda de repasse do Governo Federal para o Estado de Pernambuco, sob a gestão do Departamento de Estrada e Rodagem (DER) de Pernambuco

De acordo com relatórios de auditoria do Tribunal de Contas da União e Tribunal de Contas Estadual, recebidos pela PF, a obra vinha sendo executada com material, especialmente asfalto, de baixa qualidade e pouca durabilidade, o que pode estar afetando trechos de rodovias já entregues à circulação.  

Em nota, a Polícia Federal comunicou que está sendo investigado um possível envolvimento da Secretaria de Transporte do Estado, atualmente extinta e que era vinculada ao DER, nos desvios de dinheiro da obra, podendo haver recebimento de vantagens por pessoa ligada à pasta.

A Polícia Federal informou que na primeira fase da operação foram apreendidos documentos e mídias digitais,onde foram reveladas outras evidências de desvios, a exemplo de transações entre empresa contratada para execução da obra e firmas fantasmas, que chegam a um valor aproximado de R$ 4,2 milhões.

Além disso, foi constatado que ex-servidores do DER em Pernambuco, que foram responsáveis pela fiscalização e liberação de recursos da obra, tiveram acréscimo patrimonial incompatível com os seus rendimentos nos últimos anos. Um dos investigados,segundo a PF, adquiriu bens de luxo, como embarcações, veículos, apartamentos e realizou diversas viagens ao exterior. De acordo com a Polícia, todos os bens adquiridos por ele eram registrados em nome de terceiros. 

Do Diário de Pernambuco.

Compartilhe:

Comentários

comments