PERNAMBUCO TERÁ SUA PRIMEIRA ROTA DE CICLOTURISMO, NO AGRESTE

Visitar cachoeiras, museus, igrejas, parques ecológicos, praticar esportes radicais, conhecer um pouco da história do lugar aonde se passa. Atividades comuns a qualquer turista, como essas, vão poder ser feitas de uma forma diferente no Agreste pernambucano: de bike. A primeira rota de cicloturismo do Estado está prevista para entrar em funcionamento ainda neste semestre. O percurso de 180 quilômetros ligará os municípios de Gravatá, Bezerros, Caruaru e Bonito.

“Foi aberta licitação em março para sinalizar o trajeto, que começa e termina em Gravatá. A ideia é que o turista passe pelo menos uma noite em cada cidade. Cinco dias seria o tempo médio da viagem, mas cada um deve fazer seu tempo de acordo com sua resistência e com os atrativos que encontrar nas cidades, sem pressa”, explica a gerente de ciclomobilidade da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, Rosaly Almeida.

O percurso será sinalizado com placas informativas e indicativas em madeira ecológica. “Ele alterna passagens por trilhas, por terra batida e, em alguns momentos, pelas vias principais. O turista receberá um passaporte, que será carimbado em cada local onde ele passar e, ao final, um certificado de que cumpriu o trajeto. A proposta é baseada no Circuito Vale Europeu de Santa Catarina”, relata Rosaly.

O percurso do Agreste será dividido em quatro trechos: de Gravatá para Serra Negra (31km), de Serra Negra a Caruaru (31,8km), de Caruaru a Bonito (52km), e de Bonito a Gravatá, passando por Sairé (67,7 km). A previsão é de que a nova modalidade reforce a economia da região, uma vez que o turista gasta com hospedagem, alimentação (só em Gravatá são mais de 70 restaurantes) e lembrancinhas da viagem.

Do JC Online.

Compartilhe:

Comentários

comments