CONSELHO DENUNCIA ESCOLAS ESTADUAIS DE GRAVATÁ AO MPPE

O Conselho Municipal de Educação de Gravatá (COMEG), protocolou no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) mais uma denúncia sobre a precariedade de algumas escolas da Rede Estadual de Ensino. Segundo o COMEG, alunos da rede pública denunciaram problemas na infraestrutura das escolas, bem como o não cumprimento, pelo Governo do Estado, dos moldes do Programa de Educação Integral, através do Programa MAIS EDUCAÇÃO. Nesta modalidade de ensino, os alunos deveriam passar o dia na escola realizando oficinas desportes, cultura e letramento no contra-turno das aulas, além de receber almoço e ter direito a banho, o que segundo a COMEG não acontece em nenhuma das escolas regulares que ofertam do 7º ao 9º ano do ensino fundamental (séries finais).

O conselho informou ao MPPE, que o Governo Federal envia, para as escolas gerenciarem, recursos para pagamento dos monitores das oficinais e aquisição do material e que cabe ao Estado oferecer infraestrutura para propiciar aos alunos um atendimento digno e integral: “Enquanto no gabinete do Governador se come caviar e lagosta, como amplamente divulgado pela imprensa, nas escolas do estado falta até papel higiênico”, disse nota enviada por um membro do Conselho.

Ainda segundo a COMEG, as escolas apresentam infiltrações, fatal de espaço, vazamentos, ausência de banheiros com chuveiro, armazenamento inadequado de água e falta de ventilação. A denúncia foi oficializada nesta sexta-feira (8), mesmo dia em que o conselho se reúne em sessão extraordinária na Secretaria de Educação. O próximo passo é aguardar as providências cabíveis do Ministério Público.

Do Gravatá Notícias.

Compartilhe:

Comentários

comments