POLÍCIA FEDERAL FECHA CLUBE QUE PROMOVIA BRIGA DE GALOS EM GRAVATÁ

Uma operação da Polícia Federal (PF) desarticulou na quinta-feira (17) um grupo de 130 pessoas suspeitas de participarem de rinhas de galo, no loteamento Santana, em Gravatá, agreste do estado. A ação, que contou com 25 policias federais e cinco fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), encontrou no Clube Pena Forte cerca de 160 galos que participavam frequentemente das disputas.

De acordo com a PF, os prêmios recebidos em cada campeonato tinham valores específicos para animal e tratador e variavam de R$ 500 à R$ 20 mil. “Encontramos por lá um calendário, com todos os dias do ano que iriam acontecer as brigas e tinham pessoas de várias classes sociais”, contou Giovani Santoro, chefe de comunicação da Polícia Federal.

Ainda de acordo com a PF, o dono da rinha de galo era um um oficial da policial militar, que contava com a ajuda de dois policiais para fazer a segurança do ambiente. Os suspeitos vão responder a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) em liberdade, por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo. Se condenados, podem ter penas que variam de 3 meses a 1 ano de prisão.

Da TV Jornal.

Compartilhe:

Comentários

comments