POLICIAIS CIVIS FECHAM ACORDO COM O GOVERNO E FINALIZAM ESTADO DE GREVE

Na noite desta quinta-feira (3) a categoria dos Policiais Civis aprovou negociação com o Governo do Estado e suspendeu o Estado de Greve decretado no último dia 27 de novembro. Em assembleia concorrida, o Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco) apresentou a negociação feita com o governo, que conseguiu avançar em comparação com a última proposta apresentada. Como disse o presidente Áureo Cisneiros, a proposta está “aquém” do que merecem os policiais civis, mas a luta vai continuar.

Os policiais civis aprovaram em assembleia as seguintes conquistas:

  1. Criação de um Grupo de Trabalho para discutir e elaborar em 90 dias uma reformulação do PCCV (Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos) da Polícia Civil de Pernambuco.
  2. Criação de um Grupo de Trabalho para discutir e elaborar em 90 dias uma proposta de Lei Orgânica da Polícia Civil de Pernambuco.
  3. Progressão, dentro do atual PCCV (mudança de letra de 1,5%) já em dezembro, retroativo a março deste ano.
  4. Auxílio transporte de R$ 350,00 para todos os policiais civis da ativa no Estado, já em dezembro.
  5. Alteração no percentual do PCCV de 1,5% para 2% a partir de abril de 2016 para toda a categoria, ativos e aposentados.
  6. Retirada da contribuição do sindicato da margem consignável, fazendo o policial dispor de uma média de R$ 65 para consignar da maneira que achar melhor.
  7. Devolução dos descontos arbitrários das faltas dos plantões decorrentes do PJES (Programa de Jornada Extra da Segurança).

Para Áureo Cisneiros, presidente do Sinpol, a elaboração da Lei Orgânica será uma oportunidade de melhorar e modernizar a polícia civil, melhorar o atendimento à população e promover o trabalho de investigação.

Já a elaboração do PCCV será realizada com a presença de cinco membros do Sinpol e três membros do Governo e, já agora em dezembro, será discutido. “Esse é o documento da valorização do policial. Precisamos sair da pecha de ter a o pior salário de polícia civil do Estado”, disse.

“É um acordo firmado com o Governo do Estado. Melhorou o PCCV da gente, mas está aquém. Só que em um momento de uma conjuntura difícil, foi o que deu para negociar com o Governo do Estado. Esperamos que em 2016 a coisa melhore para todo mundo, para todos os trabalhadores”, afirmou Áureo Cisneiros.

Comentários

comments