GREVE SE FORTALECE E JÁ SOMA MAIS DE SETE MIL AGÊNCIAS FECHADAS

Subiu para 7.673 o número de agências e centros administrativos de bancos públicos e privados de todo o país fechados nesta quinta-feira 2º de outubro, terceiro dia da greve nacional dos bancários, conforme balanço realizado pelo movimento sindical com base nos dados até as 18h de ontem.

Na base territorial do SEEB Garanhuns e Região, os bancários de Garanhuns, Águas belas, Bom Conselho, Canhotinho, Capoeiras, Iati, Itaíba, Lajedo, Quipapá, São João e Angelim aderiram à greve, com paralisação de 80% das agências vinculadas ao sindicato.

E a tendência é que o movimento paredista continue a crescer.  Do primeiro dia da paralisação até hoje foi um crescimento de 16,75% (1.101 agências a mais) em relação ao primeiro dia de greve, quando 6.572 unidades foram fechadas.

O movimento está se ampliando rapidamente no Brasil todo, o que demonstra a insatisfação dos bancários com a postura dos bancos. Os trabalhadores aumentaram a produtividade, contribuindo para que as empresas tivessem lucros recordes – somente as seis maiores instituições lucraram R$ 56,7 bilhões em 2013 e mais R$ 28,5 bilhões no primeiro semestre deste ano – e a maior rentabilidade do sistema financeiro mundial, mas os banqueiros apresentaram uma proposta econômica insuficiente e ignoraram as reivindicações sociais.

Os bancários entraram em greve na terça-feira 30 de setembro, após considerarem insuficiente a segunda proposta dos bancos que eleva o índice de reajuste de 7% para 7,35% (0,94% de aumento real) para os salários e demais verbas salariais e de 7,5% para 8% (1,55% acima da inflação) para os pisos. E os bancos nada apresentaram para acabar com as metas abusivas e o assédio moral, a rotatividade e as terceirizações, a insegurança e as discriminações.
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.