DIA DO PROFESSOR, POR JOSÉ REGÍS

O que temos para festejar no dia do professor? Uma simples mensagem que saiu no carro de som em homenagem da nossa secretária de educação e do senhor prefeito que cumprindo uma fria formalidade tem a coragem de pelo menos, como diz o matuto elogiar aqueles que são de fato o cérebro da cidade segundo a vontade do Senhor Jesus, porque dependendo da vontade do prefeito nunca foram nem serão valorizados, pois mesmo sendo pós-graduados recebem tanto quanto um contratado ou o chamado comissionado que por acaso seja convidado hoje para ensinar sabe lá o que na vaga de um professor. 
Pois os nossos professores no seu dia a dia são perseguidos, achincalhados, como covardes, vândalos entre outros adjetivos preferidos pelo Sr. prefeitos sem plano de carreira pois tem um de 2008, que foi congelado pelo prefeito que muito mal reajusta com os índices do MEC a cada janeiro por força da lei. 
Há três anos venho na luta em prol da reformulação do Plano de carreiras, como pede a lei do piso no seu art. 6º, que desde 2009, era para ser reformulados com o objetivo de valorizar o professor na sua carreira, apesar dos recursos do FUNDEB estarem vindo normalmente numa média de Hum milhão mensal, se não acredita vá no site do tesouro nacional e veja com os seus olhos e o poder público sabe que não são apenas esses recursos do fundeb, mas do Fundo de participação, ICMS, e outros impostos que dentro de percentuais deverão ir para a educação, o fundeb 60 para os professores, o fundeb 40 para os administrativos e mais pessoas que trabalham na educação, mais a vontade política que está longe de ser vinculada. 
No mês de setembro agendamos varias reuniões com o nosso prefeito, no dia 03/09, 10/09, 17/09 e 24/09, na primeira ele prefeito chamou a senhora Maura e na presença dos professores solicitou fossem levantados os cálculos e se estivesse dentro do possível diria sim e estava assim digamos batendo o martelo nas negociações. 
Apresentamos uma grade de vencimentos e após ajustes e lançada no sistema a folha estourou e fazendo outros ajustes teve uma aproximação do possível e nesta última agendada em face da desconfiança dos professores recorreram ao fórum entre idas e vindas ao fórum se encontraram com o Dr. Juiz , com a Dra. Promotora e através de conversações se sentiram seguros de continuar na luta pela valorização da carreira, porém na última reunião marcada o prefeito demorou a chegar e quando chegou disse não haver acertado nada nem com a secretária muito menos com a categoria, dando o chamado bolo nos professores, o famoso cano. 
Descontou dias em que o professor parou meio expediente para fazer seus protestos pelos baixos salários e posteriormente chegaram nas escolas um ofício onde a professora teria que assinar dando o seu compromisso de pagar os meios expedientes descontados sem a devida proposta da restituição dos descontos efetuados. Nós sabemos que o professor tem o dever moral de planejar e pagar os dias de meios expedientes e o prefeito tem o dever de restituir os descontos se não o fizer , quem deve os dias letivos é o prefeito ou será de quem?
Se a educação vai mau, se o professor está desestimulado, se o professor está doente, toda responsabilidade é do prefeito e não é por falta de aviso que a nossa educação está morrendo. No Dia do Professor!
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.