PRIMEIRO PETROLEIRO CONSTRUÍDO EM PERNAMBUCO, SUEZMAX JOÃO CÂNDIDO LEVOU 1 MILHÃO DE BARRIS PARA PORTOS CHILENOS

Primeiro navio construído em Pernambuco, o suezmax João Candido, da Transpetro, concluiu este mês uma viagem histórica: a inédita operação de exportação de petróleo do pré-sal de uma embarcação encomendada pelo Programa de Expansão e Modernização da Frota (Promef).
Um mês depois de iniciar a odisseia que o levou até o Chile, o petroleiro fundeou próximo ao Terminal de Angra dos Reis, comprovando sua segurança e eficiência também em rotas de longo curso, segundo a Petrobras.
A viagem, iniciada em julho no próprio terminal fluminense, teve como objetivo transportar 1 milhão de barris de petróleo, o equivalente a metade da produção brasileira diária.
O navio foi descarregado no Porto de Talcahuano e também no Terminal de San Vicente. As operações de descarregamento foram realizadas com sucesso, depois de a tripulação do João Cândido enfrentar mar agitado e ondas gigantes. Na passagem pela costa argentina no caminho de ida, o navio encarou a fúria do mar pela primeira vez, com ondas de até 8 metros, acompanhadas de rajadas de vento de quase 70 km/h. Já em águas chilenas, após cruzar com tranquilidade o famoso Estreito de Magalhães, passagem natural entre os oceanos Atlântico e Pacífico, o suezmax de deparou com novos desafios, como tempestade de neve e temperaturas negativas.
Já no caminho de retorno ao Brasil, mas ainda em águas chilenas, ondas de 15 metros foram enfrentadas pelo navio, que rumou para os canais patagônicos, desviando de novas tempestades e alcançando uma navegação em maior velocidade. Em todos esses momentos, a alta tecnologia da embarcação e seu sistema de calefação garantiram a segurança e o conforto da tripulação. De volta aos mares brasileiros, o gigante de 274 metros completou, sem contratempos, sua viagem de 7.078 milhas náuticas, o equivalente a mais de 13 mil quilômetros.
O navio João Cândido, construído pelo Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Ipojuca (PE), foi o segundo do Promef a ser entregue à Transpetro. Atualmente, sete embarcações do programa estão em operação e outras 14 estão em construção, sendo 5 na fase de acabamentos.

Com informações do Blog do Jamildo.

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.