O FUTEBOL BRASILEIRO ESTÁ DOENTE, SERÁ QUE É BULLYING? COM ÉLCIO OLIVEIRA

Élcio Oliveira, radialista, comentarista, cronista, árbitro, professor de Educação Física e colunista esportivo do site Amaraji Notícia.

Meus amigos do Amaraji Notícia, daqui a cinquenta anos ainda vão se questionar com relação ao que aconteceu com o Brasil na semifinal com a Alemanha, naquele fatídico sete a um (7 x 1) no Mineirão em 2014, lembro que Carlos Alberto Parreira perguntado se o Brasil era favorito ele disse “Sim o grande favorito e já está com uma das mãos na taça”, lembram-se disso? Pois bem! Eu imagino os jogadores ouvindo isto de um supervisor técnico como Parreira, experiente, campeão mundial e muito serviços prestados ao futebol brasileiro, acredito que isto foi um tiro no pé; pela falta de experiência do grupo de jogadores e pela baixa idade, penso que isto causou um padrão de relacionamento emocional intenso, porém, confuso e desorganizado pela falta de grandes líderes que pensávamos que tínhamos nesta seleção, isto provocou a instabilidade das emoções e transtornos inaceitáveis, inadmissíveis pela responsabilidade e toda pressão para que não se repetisse um Maracanazo em 1950, e ai eu pergunto? Qual foi o papel da psicóloga? Na verdade ela tinha muitos pacientes como Thiago Silva, David Luiz, entre outros, e isto ficou muito claro no jogo seguinte contra a Holanda, quando os jogadores do banco de reserva, Neymar, Fred tentaram passar orientações para os jogadores em campo, ou seja, a seleção nunca teve comando, o jeito Felipão de ser não deu certo desta vez, não funcionou, e o diagnostico desta seleção é o resultado de todos os traços da personalidade da comissão técnica, o que diferencia de um jogador para outro é a amplitude e a intensidade com que cada traço foi vivido, nossos jogadores precisavam de outros para se apoiarem emocionalmente e sentirem-se seguros, ou seja, um desastre emocional.

Sabem por que a seleção apaixona? Porque é o segundo time de todo brasileiro. Felipão de um provável campeão e depois sofreu uma grande humilhação, ai entra o Dunga para começar a pregar a paz e o amor, mas daqui a pouco ele vai brigar até com a sombra, o que muda? Nada! Antecessor e sucessor vitorias e derrotas, campeão ou não, o que tem que mudar é à base da nossa estrutura que está apodrecida, só quem pode mudar isto são as federações, como? Implodindo a entidade! Mas as federações também são entidades blindadas e marcadas de bandidos que jogam contra o futebol e a transparência.
No jogo sujo, jamais o jogo limpo, o fair play vai ter vez e voz.
Passando para o campeonato Brasileiro quem tem todos os motivos para comemorar é o torcedor rubro-negro, o Sport faz uma campanha surpreendente, o leão comeu o galo na ilha com autoridade, passou por cima do campeão da sul-americana e está em lua de mel com sua torcida, além de salvar o estado das vergonhosas campanhas de Náutico e Santa Cruz.
No Náutico a situação se repete como nos anos anteriores, com uma diretoria incompetente, desonesta, que não paga salários a seus funcionários e jogadores e no final do campeonato talvez vamos fazer festa para o não rebaixamento, uma vergonha e nos discursos eu nunca vi tanta hipocrisias e demagogias.
O Santa Cruz é um time sofrido e muito mal treinado, erra demasiadamente os fundamentos durante os jogos e entrega o ouro ao bandido, como se toma doce da mão de crianças, o seu hino diz: “junta mais essa vitória” e o acumulo de derrotas são três consecutivas que contrasta seu belo hino, sinal vermelho para o santinha, assistir o Santa Cruz é um show de horrores.
O São Paulo tem um time de estrelas, mas um futebol muito pobre, fosco, apagado sem luz e sem brilho, mas é sempre bom ver o craque Kaká de volta ao futebol brasileiro, o São Paulo Futebol Clube é uma Ferrari com motor de Fusca.
O Palmeiras definitivamente tornou-se um time médio que a cada ano se apequena, quando não perde, apanha, senão se cuidar torna-se um clube insignificante por suas más gestões, deste jeito o gareca vai ficar careca.
E lá pros lados de BH, nas alterosas enquanto o Galo Mineiro conquista a Recopa o Cruzeiro tem o céu de brigadeiro e o mar do almirante, no Campeonato Brasileiro está tudo azul e estrelado, tudo conspira para a raposa ganhar mais um brasileirão, impressiona a regularidade e a reposição de bons jogadores que alternam sem mudar a qualidade, a competitividade, a velocidade, uma maquina de fazer gols e que deixa a sua torcida cada vez mais empolgada com mais um campeonato que o destino parece que tem o mesmo destino “A toca da raposa”, o futebol mineiro pode dizer “tá tudo dominado”. Enquanto isto o Flamengo derrapa, patina e caminha a passos largos rumo a serie B, uma campanha que deixa a maior torcida do Brasil envergonhada, e as soluções parecem sempre às mesmas, trouce de novo o velho Luxemburgo, acredito que isto está longe de ser uma solução, ele não se reciclou e nem se atualizou, melhor seria fazer como o Sport, apostar em novos treinadores e novas ideias.
Já o Botafogo além de baixa qualidade técnica, não paga seus jogadores e funcionários a cinco meses, está inadimplente com os principais órgão públicos e a receita federal, uma vergonha para o futebol brasileiro, e uma tentativa de solução foi o encontro dos cartolas com a presidente Dilma, com o argumento de dividir as dividas dos clubes em vinte e cinco anos (sem anistia) e com o compromisso de reorganização, e quem não cumprir o estabelecido seria entre outras punições até o rebaixamento de series, o que seria uma tentativa de moralização do futebol e dos clubes, só lembrando que isto tem que passar pelo congresso nacional e posteriormente sancionado pelo governo federal.
Engraçado que o futebol é como uma vida pública, todos calçam quarenta (40), quando um faz o outro destrói, hoje o futebol é uma referência para qualquer político, uma desgraça, um gol contra o próprio patrimônio.
Eu ainda não me conformo com Dunga de volta a seleção, ainda não digerir a ideia ainda, mas nos jogos das palavras tem me agradado, ele tem sido coerente, corajoso e a personalidade forte de sempre, mas confesso que gostei do seu relacionamento com a imprensa e torcedores, o nosso remédio é sempre torcer. A minha torcida é para o Adilson Maguila Rodrigues que se recupere das sequelas que o box lhe causou “Força Nordestino Campeão”.

“Com certeza e sem dúvida esse é o meu ponto de vista” – Élcio Oliveira.

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.