INTERNO QUEIMADO APÓS MOTIM NA FUNASE ESTÁ EM COMA

Um dos quatro internos feridos durante um princípio de tumulto na unidade da Funase do Cabo de Santo Agostinho, na manhã desta terça-feira (15), está em coma induzido no Hospital da Restauração. O estado de saúde dele e dos outros três jovens foram divulgados nesta tarde.
De acordo com o chefe do setor de queimados, Marcos Barreto, os quatro tiveram queimaduras de segundo grau. Porém o jovem, de 18 anos, já deu entrada no HR respirando através um tubo. “Ele foi primeiro para o Hospital Dom Hélder e já chegou aqui com ventilação mecânica. É o único que não está consciente”, acrescentou.
Os outros reeducandos, dois de 17 anos, e um de 19, também estão na ala vermelha porque o setor de queimados está lotado. “Amanhã se alguém receber alta a prioridade é transferi-los”, explicou Barreto. Os quatro pacientes tiveram de 17% a 35% de superfície facial queimada. Além de face, foram queimados membros superiores e o dorso.
O médico não escondeu a preocupação de que os três possam piorar. “Esses três dias que virão serão primordial pra saber se eles poderão desenvolver uma complicação pulmonar, já que muitas vezes elas não aparecem logo após o incidente” explicou.
Ainda segundo o médico,foi observado, diante dos ferimentos, que os jovens ficaram amontoados pra se proteger do calor. “Não foi o fogo que agiu direto neles porque ficaram juntos na hora, mas sim o calor dentro do ambiente fechado”, disse.
Os quatro estão sendo hidratados, e passando por procedimentos para melhorar a respiração, como ventilação com máscara e nebulizadores. Nesta quarta(16), os três, que estão menos graves, passarão por pequenas cirurgias para retirada dos tecidos desvitalizados da pele.
Tumulto – Os jovens ficaram feridos durante um princípio de tumulto por volta das 9h desta terça. Eles atearam fogo nos colchões do próprio alojamento e acabaram se queimando. A Funase abrirá uma sindicância para apurar o caso e enviará os colchões incendiados para serem periciados, pois eram revestidos de material anti-chamas. Na Funase de Abreu e Lima, internos também realizaram uma tentativa de rebelião iniciada em quatro alojamentos do Case Abreu e Lima. O tumulto foi controlado pelos agentes socioeducativos com o apoio da Polícia Militar (PM).
Com informações do LeiaJá.
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.