COLÔMBIA JOGOU COMO NUNCA, PERDEU COMO SEMPRE, É HORA DE VOLTAR PARA CASA SEU CUADRADO E CIA, NA VISÃO DE ÉLCIO OLIVEIRA

Élcio Oliveira, radialista, comentarista, cronista, árbitro, professor de Educação Física e colunista esportivo do site Amaraji Notícia.
O quadro “Opinião do Terceiro Milênio foi um sucesso no rádio por anos, quando sempre colocava sua opinião diante dos fatos e acontecimentos do cotidiano. Nesta edição confira o ponto de vista sobre a Copa do Mundo no Brasil.

A Opinião do Terceiro Milênio 
O Ponto de Vista de Élcio Oliveira
Meus amigos do Amaraji Notícia, a Colômbia não vence o Brasil a 23 anos, porém fazem doze anos que não perde, um detalhe chama a atenção neste jogo, será o grande teste da Colômbia, porque até agora só enfrentaram seleções relativamente fracas ou consideradas não candidatas ao titulo ou favoritas nem mesmo a chegar a semifinal.
Vamos sofrer novamente porque Felipão é tão fiel ao Fred e ao Daniel Alves, como à Nossa Senhora do Caravaggio, caso mudasse, nós devotos do “muda Felipão” acredito que o sofrimento seria menor.
Após 100% de acertos das oitavas para as quartas de final, meus prognósticos continuam conforme tabela abaixo:

Uma coisa eu garanto a Colômbia jogará como nunca e perderá como sempre. Espero que o Fred não tire somente o bigode, tomara que ele tire também a inhaca, a zica e todo mal olhado e que pelo menos ele suje o calção e molhe a camisa. Dizem que no futebol é melhor jogar feio e ganhar, que jogar bonito e perder, mas o futebol da seleção está pior que os comentários de “Neto da Band” chato e prepotente e as narrações do “Alex Scobar” da Globo, sem graça e insosso. Agora, eu tenho uma dúvida o Brasil sediou a copa para ser campeão ou para ser a melhor copa de todos os tempos?
O clima de guerra criado pelo ministro da guerra Felipão, é que se o Brasil vencer, não serão simplesmente campeões e sim heróis, visto que, o drama de perder pode passar rápido ou não, e ser herói dura a vida toda, porque a única pena de morte imputada a um brasileiro foi em 1950, o Barbosa goleiro do Brasil no Maracanazo, e eu acredito que esta lembrança da desesperança de muitos a três jogos do triunfo, está presente, e é o motivo de tensão que move a cabeça dos jogadores e isto é passado pelo técnico aos jogadores, não devemos esquecer que Felipão bem antes de começar a copa disse “eu não quero jogar contra o Chile em nenhuma fase da copa”, e isto eu acredito que deve ter entrado em campo conta a seleção chilena com medo de uma possível eliminação e esta tensão o comandante passou para os seus comandados, é por isso que vivemos todo aquele drama.
Vejo a final no estádio do Maracanã entre Brasil e Argentina, disso eu não tenho dúvidas, mais ai eu mudo a minha postura, quero que o Brasil vença com um gol roubado, aos quarenta e oito minutos do segundo tempo.
Mas o que não vai apagar das nossas mentes é que no jogo passado, quem venceu o jogo foi o Chile e quem se classificou foi o Brasil, e as traves do Mineirão tem que ser lembradas e homenageadas para sempre, porque o heroísmo de Júlio César não teria acontecido se não fosse “as traves”; uma trave tem uma área de 7,32mt de comprimento e 2,44mt de altura e a bola encontrou os 12cm “salvadores” de largura que evitou o maior vexame desta copa, caso contrário a euforia de hoje seria uma “depressão”.
Quando eu vi o nosso capitão Thiago Silva sentado em cima da bola, de costas para as cobranças de pênaltis, percebi a falta que faz um tal SÓCRATES, o doutor honoris-causa  brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira. Eu não tenho medo da Colômbia e do James Rodrigues (10), se o Brasil não jogar redondo o Cuadrado vai nos pegar.
Sabe qual o maior adversário do Brasil e que pode tirar a seleção brasileira da copa, é um inimigo chamado “TEIMOSIA”. Eu não sei se o técnico da seleção é Felipão ou Dunga, pela semelhança tática, ele tira o rabo dele da reta e coloca a culpa na imprensa. Aliás, eu jamais imaginava sentir falta de Dunga na seleção brasileira.
O mais importante neste momento não as críticas, o que não representa torcida contrasignifica que sou acima de tudo o mais ferrenho torcedor e, é neste momento que é difícil diferenciar o jornalista e o torcedor.
Capricha Brasil, vença e convença.

Com certeza e sem dúvida este é meu ponto de vista.

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.