SDS DIVULGA VÍDEO COM MOMENTO EXATO DA QUEDA DO VASO NO ARRUDA

Horas após a morte do torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 26 anos, atingido por um vaso sanitário arremessado da arquibancada do Arruda, quando deixava o estádio após a partida entre Santa Cruz e Paraná, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Alessandro Carvalho, convocou uma entrevista coletiva na sede da SDS para posicionar-se sobre o fato. Ele explicou que a polícia tem imagens do momento exato da queda dos vasos , mas ainda não há suspeitos.
– Nossas câmeras pegaram algumas imagens e estamos iniciando uma investigação. O que temos é um pedaço da torcida que saiu escoltada e um início de um problema com torcedores. Pelas imagens que temos, não há críticas a ação da polícia. Infelizmente, temos que mudar a postura do torcedor. A investigação será feita com todo o rigor. A delegada Gleide Ângelo irá cuidar do inquérito. De uma forma geral, vamos tirar as dúvidas e vamos trabalhar para apontar os culpados em um menor espaço de tempo. Até o momento não temos suspeitos. O Estatuto do Torcedor obriga o estádio a ter câmeras, mas não temos suspeito, pois não há câmeras no Arruda.
O secretário Alessandro Carvalho lamentou a morte do torcedor, explicou que o policiamento foi feito dentro do padrão exigido para a partida e ainda rebateu o presidente do Santa Cruz, Antônio Luiz Neto.
– Primeiramente, tenho que lamentar a morte do torcedor. Depois o policiamento foi feito dentro do padrão. Tínhamos um efetivo de 228 policiais, sendo 29 do choque. Nos informamos por várias fontes. Existe uma matéria que o presidente do Santa Cruz afirma que é uma matéria de segurança pública. Mas quero deixar claro que todas as medidas foram tomadas.
Além de confirmar que não há suspeitos, o secretário explicou ainda que a investigação está em estágio inicial e não isentou o clube de responsabilidade.
– O que temos é que vasos sanitários foram retirados do estádio e foram arremessados em pessoas. O Estado fez o seu papel. Quem tem que fazer a segurança patrimonial do estádio é o clube que organiza o jogo. O Estado e todos os envolvidos devem fazer o que estiverem ao seu alcance e cada um deve responder pelas faltas de ações que deveriam ter tido. No caso, não vejo qualquer culpa para o Estado.

Ministério Público promete endurecer medidas

O promotor do Juizado do Torcedor, José Bispo, explicou que o Ministério Público de Pernambuco vai solicitar a abertura de um inquérito policial mais amplo, para esclarecer não só a morte do torcedor, mas também as lesões corporais provocadas nos jogos no estado.
– O fato preocupa bastante o Ministério Público de Pernambuco. É difícil entender que houve a retirada de um bem do patrimônio do clube mandante, sem a presença de nenhum segurança. O Ministério Público cumpre o seu papel. Anteriormente, entramos com a suspensão das torcidas organizadas. Agora, tramita em juízo a extinção dessas torcidas. Vamos requisitar a abertura de um inquérito policial para apurar a autoria dos crimes – de morte e de lesões corporal – e saber por que não houve prisões até agora. Também vamos solicitar a apuração da responsabilidade do clube mandante. Do jeito que está a impunidade só vai aumentar. Não dá para brincar ou fechar os olhos para coisas dessa natureza. Está na hora de endurecer as medidas.

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.