CHUVA CAUSA TRANSTORNOS NO INTERIOR DO ESTADO

Fortes chuvas atingiram o interior pernambucano no último domingo (6). As precipitações que ocorrem desde a sexta-feira (4) produziram transtornos para a população. Em Pesqueira, no Agreste, a água invadiu o Fórum da cidade e em alguns locais, foram registrados 140 milímetros de chuva, em um levantamento preliminar. Em Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, um agricultor foi vítima da descarga de um raio. As grandes cidades sertanejas como Petrolina, Araripina e Salgueiro também tiveram grandes índices de precipitação.
O pátio do Fórum Sérgio Higino Dias, no Centro de Pesqueira, estava completamente tomado por entulhos depois do temporal que passou pelo município. A água invadiu o prédio, destruindo documentos. Um arquivo foi arrastado para fora do imóvel. Só na tarde de domingo, foram registrados 42 milímetros de precipitação, na média da cidade. O centro da cidade teve 101 milímetros de água, enquanto que na zona rural, 140 milímetros se precipitaram.
Na zona rural de Afogados da Ingazeira, choveu nas comunidades de Dois Riachos, Umburana e Portázio, onde foram registrados 25 milímetros. Segundo os moradores da cidade, a chuva conseguiu encher poços e barreiros, que são pequenos reservatórios. Entretanto, a água foi incapaz de abastecer a Barragem de Brotas, que fornece água para as cidades de Afogados e Tabira.
Ainda em Afogados, o atrito das nuvens causou a morte de um agricultor. José André Barbosa Mariano, de 31 anos, foi atingido por um raio por volta das 18h da última sexta-feira (4), quando consertava o telhado de casa. Ele chegou a ser levado para um hospital local, mas não resistiu aos ferimentos.
Na manhã desta segunda-feira (7), a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) iniciou um levantamento para indicar os índices chuvosos do Sertão.

SERTÃO – Em fevereiro, outro episódio de grandes chuvas marcou a população sertaneja. Casas tiveram seus telhados arrancados e as ruas ficaram alagadas em Afogados da Ingazeira. Em Trindade, a chuva alagou um posto de gasolina, onde os moradores precisaram atravessar um cano na BR-316 para escoar a água.
Com informações do JC Online.
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.