SPORT GOLEIA SANTA CRUZ PELO PERNAMBUCANO

O Sport foi amplamente superior ao Santa Cruz no primeiro dos quatro duelos entre as duas equipes neste mês. Intenso, aguerrido e muito mais consciente do que representa um clássico, o Leão atropelou a Cobra Coral, marcou três gols na etapa inicial e apenas administrou o resultado confortável no segundo tempo. Com direito a Olé, o time de Eduardo Baptista passou por cima da equipe de Vica por 3 x 0 na Ilha do Retiro. O alento para os tricolores é que ainda haverá mais três confrontos diante dos rubro-negros. A esperança leonina é que os jogos sejam rigorosamente iguais ao desta quinta-feira.
Foi um primeiro tempo para os rubro-negros se lembrarem durante muito tempo – e para os corais esquecerem permanentemente. A diferença de ritmo e vontade de jogar entre as duas equipes se traduziu no placar. O Sport construiu a vitória na primeira etapa. Embora não tenha marcado gols, Neto Baiano foi uma das peças mais importantes do Leão. Participou ativamente dos três tentos. No primeiro, aos cinco, o centroavante leonino deu combate em Everton Sena no canto e ganhou um escanteio que acabou gerando a abertura de placar num chutaço de Felipe Azevedo.
O Santa respondeu cinco minutos mais tarde, aos 10. Carlos Alberto avançou pela direita e tocou para o meio. Cassiano fez corta-luz bonito para Raul, que bateu por cima. Foi a única jogada digna de nota do quarteto ofensivo do Tricolor no primeiro tempo. Mas a atuação horrível não foi exclusividade deles.
A marcação coral também foi ruim. Dispersa e lenta, permitiu que o Sport empilhasse oportunidades. Aos 16, Neto Baiano fez bela jogada de pivô e, de costas, serviu Patric, por cima, que invadia a área. O lateral-direito bateu sem chances para Tiago Cardoso. Dois a zero.
O cenário ainda iria ficar melhor para o Leão – e, por consequência, pior para o Santa Cruz. Aos 29, Neto Baiano saiu da área de novo e fez mais um belo lançamento por cima da zaga. Felipe Azevedo ficou na cara de Tiago Cardoso e não deu chance para o goleiro tricolor. Três a zero.
A segunda etapa voltou, mas meramente para cumprir tabela. Sport e Santa Cruz voltaram com os mesmos nomes. O Leão, naturalmente, diminuiu o ritmo. A Cobra Coral melhorou um pouco, mas nada de muito significativo. A equipe coral chegou duas vezes: ambas com Léo Gamalho. Na primeira, aos 18, o atacante aproveitou sobra e chutou forte para o gol. Parou em Magrão. Na segunda, aos 37, cabeceou com força. Parou no travessão. 
Nem a entrada do carismático Caça-Rato serviu para inflamar o time. Ao Rubro-negro, coube administrar o resultado e comemorar uma vitória incontestável.
Com informações da FolhaPE
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.