MST AFIRMA QUE GOVERNO DO ESTADO DESCUMPRIU ACORDO E EXPULSOU FAMÍLIAS NA MATA SUL

Cerca de 160 famílias de trabalhadores rurais do Movimento Sem Terra (MST) foram despejados do Engenho Brasileiro, em Água Preta, na Mata Sul do Estado, na última terça-feira (14). As famílias estavam na área desde 2011.
O Engenho Brasileiro pertence a Lucí Tenório de Castro e Gabriel Ribeiro de Castro. Segundo o MST, Pernambuco vivencia o retrocesso no processo de reforma agrária.
De acordo com o Movimento, o governador-presidenciável, Eduardo Campos (PSB), firmou um acordo com o MST e outros movimentos sociais do campo em 2013, quando disse que iria desapropriar aproximadamente 40 áreas, incluindo Engenhos, que fossem consideradas áreas de conflito agrário. “Até então, o acordo foi descumprido por parte do governador”, afirmam as famílias.
Para efetuar o despejo foram acionadas quatro viaturas da Polícia Militar e um micro-ônibus com policiais armados.
A dirigente estadual do MST, Vilma Silva, contou que os policiais não esperaram a constatação do acordo firmado pelo governador, por meio de ligação telefônica, para efetuar o despejo.
O MST defende que antes da ocupação o engenho só produzia cana-de-açúcar, mas hoje existem lavouras cultivadas pelos trabalhadores. Existem aproximadamente 40 hectares de terras cultivadas.
Com informações do Blog do Jamildo
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.