GRUPO LGBT REALIZA PROTESTO EM CULTO COM MARCO FELICIANO, EM PRAZERES

Durante o culto, os manifestantes gritavam palavras de ordem contra Feliciano, uma delas pedia para o deputado “sair do armário”. Alguns evangélicos presentes, cerca de 3 mil participantes, estavam mais exaltados gritando ofensas ao movimento. Muito se ouvia : “Vocês vão queimar no Inferno”, “ Aqui se faz, se paga no inferno”, “Deus vai salvar a alma de vocês”, e até um “vão se prostituir em outro lugar”, “Eles precisam de porrada para se endireitarem”. O senhor Edmilson Barreto, de 36 anos mostrou que respeitava a posição dos insatisfeitos. “Eles tem o direito de protestar, contanto que não atrapalhem o nosso culto. Mas da forma pacífica que está ta tudo bem”, ressaltou o evangélico. Durante o beijaço, um evangélico tentou converter os participantes a religião protestante dizendo ” Deus ainda pode salvar vocês, nos respeitem, vanham caminhar com Deus”.
O líder do movimento, Cristiano Vasconcelos, de 22 anos, que é ligado ao partido PPS comentou que o ato era uma forma de repúdio ao pastor Marco Feliciano e tudo que ele pregava. “O Brasil é um pais laico, um país livre, um país do amor. Esse deputado usou a sua religião para tomar decisões a frente da Comissão de Direitos Humanos, isso não podemos aceitar”, enfatizou. A estudante Maria Augusta,19 anos, que participou com sua namorada do protesto, reintegrou que a ação estava acontecendo para afrontar as ideias de Feliciano. “ Viemos aqui para mostrar a nossa indignação diante das atitudes desse senhor(Marco Feliciano)”, disse.
Os policiais que estavam no local inpediram, de forma pacífica, que a movimentação chegasse perto do Trio Elétrico onde acontecia a pregação de Feliciano. Durante a ação da polícia os integrantes do grupo entoavam “A NOSSA LUTA É TODO DIA CONTRA O MACHISMO, RACISMO, HOMOFOBIA” e ” Polícia Homofóbica”. Marco Feliciano pediu, durante sua pregação, que se os manifestantes quisessem encontrá-lo depois do culto, ele os receberia, mas queria que respeitassem o ato evangélico.

Com informações do Diario de Pernambuco

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.