ESTUDANTE PERNAMBUCANO CRIA IMPRESSORA 3D E VAI A CAMPUS PARTY APRESENTAR O PROJETO

O doutorando em Ciência da Computação Orivaldo Vieira, 32 anos, realiza pesquisa sobre computação inteligente na Universidade Federal de Pernambuco. Para ajudar em seus projetos, decidiu construir uma impressora 3D do zero. Buscou em fóruns de discussão e sites especializados na internet informações sobre como montar o equipamento. Enquanto encomendava os materiais de outros países, estudava os documentos e preparava a montagem. A experiência autodidata rendeu ao estudante uma viagem para São Paulo para palestrar, na Campus Party Brasil, sobre a sua invenção.
“Minha motivação para criar uma impressora foi para construir robôs. Quis testar os programas que faço da minha pesquisa em um protótipo de verdade”, comenta Orivaldo. “Encontrei no site Open Hardware a documentação para montar a máquina e comecei a pesquisar o material”. A maior dificuldade, segundo ele, era conseguir as peças. “Várias pessoas indicaram sites da China. Procurei também no eBay e em um site com foco mais industrial. As peças demoraram em média dois meses para chegar”, explica. A ideia, segundo Vieira, era montar um modelo que imprimisse cada camada do desenho. Orivaldo explica também que a máquina pode imprimir qualquer peça 3D. “A peça pode estar no formato padrão JPG e daí converto para códigos de impressão e envio em G-code para a impressora”.
Com o equipamento 3D pronto, Orivaldo espera apresentar sua invenção, entre 27 de janeiro a 2 de fevereiro, no Anhembi Parque, em São Paulo/SP, na Campus Party acompanhado de um robô. “Eu já desenhava as peças dos robôs, mas tinha que cortar a laser. O problema é que para cortar a laser eu tinha que desenhar em um plano e não tinha uma estrutura boa para resultar em um bom trabalho”. Da expectativa para a feira, a melhor. “Vou falar sobre os modelos que já existem e sobre o que eu construí. Só espero terminar até o fim desta semana um protótipo para tentar mostrar um robô já prontinho lá”, comenta.
Recursos – O custo para a produção da impressora 3D foi de R$ 1.200, mais barato que outros produtos no mercado. Segundo Orivaldo, todo o dinheiro saiu do próprio bolso.
Com informações da FolhaPE.
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.