TRATAMENTO DE LIXO ESTÁ SUSPENSO EM ATERRO DE ESCADA, NA MATA SUL

Um aterro sanitário da cidade de Escada, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, está com o tratamento de lixo suspenso, de acordo com os moradores. Segundo informações de funcionários, o aterro recebe cerca de 100 toneladas de lixo por dia, vindos das cidades de Escada, Amaraji, Barra de Guabiraba, Chã Grande, Cortez, Primavera e Ribeirão.
Os catadores de lixo afirmam que os resíduos só eram tratados quando o aterro era de responsabilidade de um consórcio. O espaço destinado à prensagem de material reciclável também está desativado. Já as máquinas que ficam no local apenas depositam mais lixo em pilhas.
“O lixo já estava chegando quase na pista [da BR-101]. Aí estava vindo uma máquina pra cá, trabalhava três meses, outras trabalhavam dois meses e saiam”, afirma Amaro Paulo Celestino, catador de lixo. “Só vai chegando lixo, tirar que é bom nada. O que essas máquinas estão fazendo? Vêm as caçambas, deixam o lixo aí em baixo […] Não tem tratamento, não tem nada disso”, reclama a também catadora Rosely Rita de Lima.
De acordo com o Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Econômico de Escada, Sílvio Neiva, ficou definido, em reunião no Ministério Público nesta terça (3), que a administração do aterro ficará sob a responsabilidade do consórcio dos municípios da Mata Sul de Pernambuco. Até lá, a Prefeitura vai continuar com a administração do aterro. Nesta quarta-feira (4) haverá outra reunião para ajustar os detalhes da mudança. Ainda de acordo com Neiva, uma obra emergencial está sendo feita para amenizar o problema do acúmulo de lixo. O serviço começou na semana passada e deve ser concluído na próxima terça-feira (10).

Do  G1/PE
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.