DEVIDO A DENÚNCIAS OUVIDORIA DO INCRA VISITA TERRAS E ASSENTAMENTOS EM AMARAJI

Na tarde desta quarta (16/10) a ouvidoria do INCRA esteve na cidade de Amaraji, mas precisamente nas áreas do engenho nabuco, zona rural da cidade de Amaraji e também no assentamento do Movimento Social Via do Trabalho, presidido por Romildo.

A ouvidora Elizabete Rafael, 57 anos, esteve na cidade durante a tarde desta quarta (16/10) e manhã desta quinta (17/10) na ocasião enviada para apurar denúncias de expulsão de moradores assentados e violência contra trabalhadores rurais.
A ouvidora esteve durante a tarde da quarta no engenho nabuco que está correndo em justiça um processo acusando o ex-prefeito de escada de ter invadido e expulsado moradores da área, segundo a acusação moradores como a senhora Josefa Ilda da Conceição que moravam a mais de 40 anos, contra o mesmo está sendo acusado de estar desmatando a área de preservação ambiental, durante a visita a ouvidora encontrou a entrada do engenho fechada com corrente e cadeado, engenho este que não pertence segundo informações ao ex prefeito sim a reforma agrária.

Segundo a Ouvidora a cidade de Amaraji tem uma ampla área que poderia estar sendo vinculada a reforma agrária, mas muitos problemas existem e que precisam ser corrigidos, alguns do principais problemas enfrentados é repasse de parcelas a terceiros sem informa ao órgão competente, desmatamento com ajuda de parceleiros, e sem falar na desmotivação e insegurança que vivem muitos que lutam pela causa.

“Espero que os movimentos se engajem e lutem em prol da causa e não se isolem e que a reforma agrária não seja só uma busca do INCRA, mas das pessoas”, destacou a ouvidora Elizabete Rafael.

Acesso ao Engenho Nabuco, fechada com cadeado.

Dona Josefa moradora a mais de 40 anos, agora expulsa da propriedade pelo ex-prefeito de Escada.

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.