INCÊNDIO DEIXA 101 FAMÍLIAS DESABRIGADAS NO RECIFE

A Prefeitura do Recife montou uma força tarefa para medidas emergenciais em prol dos moradores vitimados pelo incêndio que atingiu a Comunidade do Campinho, no bairro dos Coelhos, centro do Recife, na tarde desta segunda-feira (05). Por cerca de três horas, o fogo consumiu pelo menos 101 barracos do local.
A ação conjunta acontece entre as secretarias de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Habitação e Executiva de Defesa Civil. Até as 19h30, foram cadastradas 101 famílias que perderam suas casas. Desse total, 67 passarão a noite na casa de parentes, as outras 34 famílias serão removidas para um abrigo na Travessa do Gusmão, próximo à Praça Sérgio Loretto, no bairro de São José.
De acordo com a gestão municipal, todas as famílias vão receber colchões, cestas básicas e kits de higiene pessoal, além de alimentação no próprio abrigo. Os técnicos da Defesa Civil passarão a noite no local do incêndio dando suporte às vítimas e cadastrando mais famílias, caso surjam novas ocorrências.
Habitacional
A Secretaria de Habitação também informou que está sendo construído, no bairro de São José, um conjunto habitacional para abrigar 384 famílias cadastradas que ocupam o trecho das margens do Rio Capibaribe, também nos Coelhos. Dividido em dois lotes, esse conjunto tem prazo de conclusão para dezembro deste ano. O lote 1 se chamará Conjunto Sérgio Loreto, terá 224 apartamentos e está sendo erguido nas proximidades da Praça Sérgio Loretto ao custo de R$ 8 milhões. Já o lote 2, com 160 unidades, será chamado Travessa do Gusmão e está orçado em R$ 7 milhões.
A Prefeitura fará um cruzamento dos dados das famílias já cadastradas previamente com as vítimas do incêndio desta segunda. Para os demais desabrigados, a PCR estuda a possibilidade de conceder o benefício eventual, o auxílio moradia, que pode chegar ao valor de R$ 150.
Fonte: Diario de Pernambuco
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.