PADRASTO É ACUSADO DE ESPANCAR ATÉ A MORTE BEBÊ DE 4 MESES, NA MATA SUL

Está foragido um homem acusado de espancar até a morte um bebê de quatro meses em Lagoa de Itaenga, na Zona da Mata pernambucana. O caso ocorreu na madrugada desta segunda-feira (31), por volta de 1h30. O suspeito é o autônomo Bruno Cleiton Xavier, responsabilizado pela morte de Breno Cleiton Xavier de Oliveira.
Segundo a polícia, a mãe do menino, Amanda de Souza Oliveira, havia deixado o filho com o padrasto. Bruno Xavier ficou bebendo em frente de casa e quando a esposa retornou, perguntou pela criança. O marido respondeu que o Breno estava dormindo, mas Amanda encontrou o filho gemendo e agonizando de dor, com escoriações.
Bruno disse que o menino levou uma queda e chamou um vizinho para levar Amanda e bebê ao hospital. O autônomo pediu que a mulher e a criança fossem na frente, que ele chegaria logo após. Chegando no hospital, a mãe mostrou o filho ao médico, contando que ele havia caído, mas o médico disse que as lesões não tinham como ser de uma queda. No hospital, a mulher percebeu que o filho estava roxo, cheio de marcas de agressões.
A criança foi transferida para o Hospital da Restauração, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Breno foi diagnosticado com politraumatismo, com lesões na cabeça, tórax e membros. O suspeito encontra-se foragido. A investigação é da Delegacia de Lagoa de Itaenga, sob responsabilidade do delegado Marcos Roberto da Silva.
A polícia acredita que Bruno espancou a criança por vingança. Ele tinha constantes desentendimentos com a esposa. Ela teria saído para um clube na noite do último domingo, mas disse em depoimento que não chegou a entrar no estabelecimento. Bruno ficou em casa, bebendo e tomando conta do bebê.
O casal estava junto havia sete meses. Quando Bruno se casou com Amanda, ela já estava grávida. Ele decidiu registrar e assumir a criança.
Com informações do JC Online.

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.