PRIMAVERA, GAMELEIRA, GLÓRIA DO GOITÁ E MAIS 23 CIDADES PODEM FICAR SEM...

PRIMAVERA, GAMELEIRA, GLÓRIA DO GOITÁ E MAIS 23 CIDADES PODEM FICAR SEM ZONAS ELEITORAIS

1685
0
SHARE

O TRE-PE fechou nos últimos meses, três das 14 zonas do Recife e faz um plano para atender às determinações do Tribunal Superior, onde mais 33 atendem aos critérios e 26 municípios perderiam a única zona eleitoral existente (Ipubi, Jataúba, Pedra, Angelim, Cachoeirinha, Condado, Cumaru, Cupira, Gameleira, Glória do Goitá, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos , Macaparana, Maraial, Orobó, Panelas, Primavera, Riacho das Almas, Sanharó, São João, São Joaquim do Monte, São Vicente Férrer, Sirinhaém, Toritama e Vertentes). Camaragibe, Goiana, Caruaru, Paulista, Petrolina, Olinda e Jaboatão dos Guararapes, de maior porte, podem perder também uma das zonas existentes.

Ainda segundo informes, com a extinção da zona eleitoral de Primavera, é possível que se caso houver, os eleitores sejam vinculados a 31ª Zona Eleitora de Amaraji, o que ainda irá depender da decisão do TRE-PE.

“Grupos que abusam do poder econômico estão aplaudindo essa medida”, alertou Rodrigo Novaes (PSD), observando que, com o fechamento de cartórios eleitorais, o cidadão com dificuldade de deslocamento terá que recorrer aos poderosos locais, com recursos ou detentor da máquina pública, para obter o transporte a outro município, tornando-se “suscetível a essa vantagem”.

“É um desprezo ao eleitor”, classicou Romário Dias, do mesmo partido. O deputado Aluísio Lessa (PSB) lembrou a necessidade de pressionar os pares federais, governadores, associações de prefeitos e vereadores, além de engajar os eleitores. “ A gente não pode ficar refém de Gilmar Mendes (presidente do TSE) e dos que rezam na sua cartilha”, asseverou Lessa. Terezinha Nunes (PSDB), que convocou a audiência, defendeu que o TRE suspenda a extinção já iniciada. Ela vai redigir um documento e recolher assinatura de todos os deputados para encaminhar o protesto ao TSE.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores da Justiça Federal, Euler Pimentel, o “desmonte” reforçará o coronelismo no interior, sem a presença de juízes e promotores eleitorais em parte dos municípios. Cruzes foram levadas à Alepe pelos trabalhadores, em referência às zonas ameaçadas. Na sexta (30/06), dia de greve geral contra as reformas trabalhistas e da Previdência convocada por centrais sindicais, os servidores do TRE vão iniciar a mobilização protestando contra o rezoneamento, considerado, por eles, como mais uma ação que ataca o serviço público e a carreira na área.

Do JC Online

Comentários

comments