MORADORES RECLAMAM DE SERVIÇO NA BIBLIOTECA EM ESCADA

Moradores de Escada, cidade da Zona da Mata Sul de Pernambuco, cobram da prefeitura a obra de restauração e a reabertura da Biblioteca Municipal Professor Eraldo Campos. Instalada numa casa antiga da Rua Barão de Jundiá, no Centro, desde 2001, a biblioteca foi desativada no início de 2018 por causa de infiltrações nas paredes.

Ainda segundo moradores, as precárias situações da construção estão colocando moradores próximos em situação de risco. Segundo ela, os problemas na biblioteca começaram há mais de um ano. “Um engenheiro da prefeitura vistoriou a casa três vezes e pediu para a gente evitar usar a cozinha e não abrir o portão de acesso ao corredor (externo) lateral, porque o piso está fofo. O portão a gente mantém fechado, mas como vamos deixar de usar a cozinha?”, destaca Fabiana Cavalcanti, que mora com a mãe, a tia e dois filhos pequenos.

“Fui à prefeitura diversas vezes e nada se resolve. Vai terminar o muro caindo em cima da gente, até porque esse buraco que eles cavaram piorou mais ainda a situação”, observa Amara Cavalcanti Pereira. Ela mora na casa há mais de 50 anos. “É uma coisa absurda, a biblioteca funciona em uma casa antiga, é o nosso patrimônio se acabando”,  lamenta Amara.

Projeto
O secretário de Educação de Escada, John Kennedy Jerônimo Santos, disse que a prefeitura providenciou a elaboração do projeto de restauração do prédio assim que engenheiros municipais constataram infiltrações
na biblioteca. 

Orçado em R$ 40.500,14, o projeto prevê a substituição da rede elétrica, recuperação da coberta (telha e madeira), melhorias nos jardins e reparos no reboco da paredes. O serviço levará três meses para ficar pronto.

A prefeitura, diz, está concluindo o contrato de aluguel e espera fazer a mudança ainda esta semana. De acordo com ele, a biblioteca apresentava avarias e os problemas se agravaram com as fortes chuvas registradas em Escada no começo de 2018.

Sobre o acervo jogado na calçada, o secretário afirma que essa não é a orientação da secretaria. “Temos muitos livros didáticos antigos que não servem mais, são publicações com 10/15 anos de lançadas, o descarte desse material sem valor é feito após análise. Livros são fundamentais”, declara.

Do JC Online.

Comentários

comments