SDS DETERMINA PRISÃO DE 30 DIAS PARA PM ACUSADO DE DISPARAR CONTRA ESTUDANTE EM ESCADA

A Secretaria de Defesa Social (SDS) determinou prisão de 30 dias para o segundo sargento da Polícia Militar (PM) Miguel Furtado de Souza, acusado de matar o estudante Marcelo Lauriano Gomes Filho, 16 anos, durante uma abordagem policial em Escada, na Mata Sul do Estado, em 16 de junho de 2015. O jovem foi atingido na cabeça por um tiro de fuzil. O caso também está na Justiça e pode resultar em 30 anos de prisão para o policial, mas, até agora, não teve nenhuma audiência e segue sem previsão de desfecho.

A punição ao sargento foi definida em portaria assinada pelo secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, e publicada no Boletim Geral da SDS. Segundo o texto, o PM estava no comando de uma guarnição da então Companhia Independente de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga (Ciosac), atual Batalhão Especial de Policiamento do Interior (Bepi), quando recebeu a informação de que pessoas não identificadas estavam cometendo ilícitos a bordo de dois carros em Escada.

Quando o efetivo passou pela rua Comendador José Pereira, no município, avistou um Corolla sem placa e uma picape S-10, ambos parados em frente a uma agência bancaria. Na tentativa de abordagem, Marcelo, que estava dirigindo a S-10, mesmo sendo menor de idade e não tendo carteira de habilitação, não atendeu à ordem para desembarcar do veículo e tentou fugir dirigindo. Na versão da SDS, “diante dessa reação do condutor, o aconselhado [PM processado] efetuou um único disparo de arma de fogo”.

A portaria da SDS ainda afirma que o sargento acumula 127 elogios decorrentes de ocorrências policiais relevantes e nenhuma punição disciplinar registrada. Por fim, destaca que, caso o acusado seja condenado a uma pena privativa de liberdade superior a dois anos, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) representará para que o Tribunal de Justiça (TJPE) decida se o PM deve perder a graduação e ser excluído da corporação.

Da FolhaPE.

Comentários

comments