ACADEMIAS DE GINÁSTICA PODEM TRAZER PERIGOS AOS ALUNOS

Acidentes acontecem, e numa academia de ginástica não é diferente. Recentemente uma jovem de 27 anos, que prefere não ter sua identidade divulgada, sofreu uma grave lesão numa das vértebras da coluna ao cair de uma equipamento num centro de treinamento esportivo. Em um outro caso, um jovem sofreu um corte profundo na boca depois que uma anilha se soltou da barra e atingiu seu rosto. Os dois casos aconteceram em academias da Região Metropolitana do Recife, que por sua vez prestaram assistência aos seus alunos. No entanto, acidentes, menos ou mais graves, não são incomuns nos espaços fitness.
Em tempos de culto ao corpo, associado à chegada do verão, os centros de treinamento ficam lotados. Alunos novatos ou veteranos dividem espaço e atenção dos profissionais de educação física. O professor Enoque Tavares, que há 13 anos trabalha na área fitness, alerta que todo exercício deve ser monitorado de perto pelos instrutores, principalmente em casos de pessoas que não estão acostumadas com os treinos. “Se você passa um exercício inadequado o aluno pode sim sofrer uma lesão, então em todos os momentos o instrutor precisa ficar atento ao movimento que está sendo feito”, ressaltou.
Ainda de acordo com o educador físico, para quem já treina há muito tempo o risco é menor de se machucar durante o treino, mas muitos alunos tendem a aumentar o peso usado no exercício com o tempo, o que acaba tornando o movimento mais instável. Enoque Tavares garante que acidentes com fins trágicos não são comuns, mas torções e pré-luxações não são tão raras quando o treino é feito de maneira inadequada.
“A dica é que as pessoas nunca deixem que o valor de uma academia se sobreponha à sua segurança. Existem muitas academias do tipo low cost (baixo custo) que em horários de pico os alunos ficam totalmente sem acompanhamento e isso não é aconselhável, nem mesmo para os mais acostumados em fazer exercícios”.
O servidor público Tiago Amorim, de 27 anos, pratica musculação há seis anos ininterruptos e já se vê com bastante autonomia na execução dos exercícios. Segundo ele, às vezes a presença do instrutor lhe parece excessiva já que os movimentos já são conhecidos. “Quando você tem algum tempo de experiência eu acho que não precisa de um personal no pé da pessoa, mas quando é novato tem ficar em cima mesmo”, disse Tiago que ainda contou que busca informações sobre novos treinos com amigos ou na internet.
Praticar exercícios com tênis, usar luvas antiderrapantes, não exagerar no peso e cobrar a presença de um instrutor são os principais requisitos para evitar acidentes nos centros. De acordo com uma lista publicada pelo Conselho Regional de Educação Física (Cref), regional 12 – que reponde aos estados de Pernambuco e Alagoas -, há pelo menos 657 academias devidamente registradas nesses dois estados. As pessoas que tiverem dúvidas sobre a permissão de funcionamento desses espaços no Estado podem denunciar a situação irregular através do e-mail fiscalizacao@cref12.org.br.
Do Ne10

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.